Fundar nova Igreja?

FILOIGREJANDO…

Minha igrejofilia é tão genuína, que assim como um jardineiro precisa saber técnicas de poda, plantio e conservação, não tem como semearem joio no meio do jardim de Deus, ou deixarem crescer as plantas enfermas e deformadas, que não me permito, sabendo e vendo, deixar de poda-las.

Há uma semelhança entre os partidos políticos e as denominações cristãs evangélicas. Espero que os denominacionais sejam menos intolerantes, fanáticas e preconceituosas que os políticos; senão, o mundo não teria mais salvação!

Felizmente, não há de haver uma quadrilha de bandidos camuflada de denominação cristã evangélica como dizem existir partidos políticos. Não deveríamos atrelar a nenhuma delas à exclusividade da delinquência e a corrupção, posto que ainda quando cada uma tem sua particularidade que as definem, nem por isso alguma delas poderia ser condenada como absolutamente inservível e maligna.

Até os católicos e os sociólogos veem às diferentes denominações cristãs evangélicas como “os evangélicos”, ou seja, uma única entidade, sinal que certo parecido entre nós nos delatam iguais. Entretanto, quando os inimigos de Cristo e do Evangelho, consequentemente da Bíblia e da Igreja incluem às seitas no segmento evangélico, ou mais precisamente é a estas que chamam evangélicos, ou a maldade aumentou, ou a cegueira nos críticos foi o resultado do engano do mesmo veneno que enfeitiçou as seitas que julgam e denunciam.

Não há nenhum problema com as denominações genuinamente cristãs evangélicas. O problema está no autismo que elas padecem, e na obstinação em não reconhecê-lo.

Significado de autismo: Transtorno global do desenvolvimento, caracterizado pela incapacidade de interação social, pela dificuldade na comunicação verbal, ou no uso da linguagem, e pela concentração excessiva em pensamentos e sentimentos pessoais em detrimento do mundo exterior.

A aberração chegou ao colmo, tal, que não se deveria mais fundar “NOVAS IGREJAS” na visão denominacional! A matriz ou maquete não merece ser utilizada, porque o novo produto perpetuará ainda mais o autismo e a arrogância que os que se acham fora destes pretendem eliminar de seus projetos. Não pode o homem melhorar o que outros homens geraram monstruoso ou defeituoso, nem se pode pretender que Deus intervenha modificando algo! Como também nada resolverá criar uma “nova igreja” imaginando melhor, porque o molde está em nós, não no exterior. “Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna” [Gálatas 6.8].

Leia na sequencia: “RESOLVE CRIARMOS MINISTÉRIOS?”.

Baixe o PDF:

FILOIGREJANDO 1

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *